Jovens da IQC



Uma viagem para o acampamento!

Uma igreja decidiu realizar um acampamento no fim de semana. No dia marcado, quase todos tinham contribuído para o pagamento das despesas, e após algumas horas de atraso, saíram de autocarro. O pastor da igreja, que também era o motorista do autocarro conhecia bem o itinerário, mas num determinado momento, por mais hábil que fosse, não conseguiu espacapar de um lamaçal.

Um pequeno grupo de “irmãos” que estava dentro do autocarro, desceu rapidamente, abandonou os demais, caminhou até a sombra de uma árvore e começaram a falar sobre a falta de habilidade do pastor na condução do veículo, pensando inclusivé em arranjar boleia noutro autocarro que passasse por ali.

Outro grupo também desceu do autocarro, e os irmãos puseram-se a estudar uma maneira de colocar as rodas do veículo com pedras, paus e galhos de árvores, para auxiliar na saída do lamaçal. Arregaçaram as mangas, dobraram as calças, tiraram os sapatos e tênis, entraram no lamaçal e tanto homens como mulheres, ao comando de “força, vamos lá, vamos conseguir, …” puseram-se a retirar o autocarro do lamaçal.

O terceiro grupo era formado por aqueles que não abandonaram o autocarro, mas que também não desceu para tentar tirá-lo. Eles ficaram sentados nos seus lugares, não criticavam, mas também não se empenharam em fazer algo.

Estes três grupos podem bem representar nos momentos difíceis da vida da igreja o comportamento de cada um de os seus membros.

O primeiro grupo serve para nos lembrar que na igreja, sempre teremos pessoas que reagirão com o desânimo, o abandono e falta de coragem para enfrentar os percalços e desafios que surgem. São úteis noutras situações, até contribuem como os demais, mas se acham no direito de exigir que as coisas sejam perfeitas.

O segundo grupo é formado por aqueles que estão sempre prontos para os desafios. Acreditam que o melhor a fazer é cooperar, pois com a força de todos, os obstáculos são superados. Um anima e fortalece o outro. Não há espaço para críticas maldosas. Cada um sente-se responsável para alcançar o objectivo.

O terceiro grupo mostra-nos que pelo facto de não deixarem o autocarro, talvez sem saber, também contribui com o peso dentro do veículo, para firmar e não deixar as rodas patinarem tanto. A presença destas pessoas dentro do autocarro servia também para animar os que tinham descido para empurrar.

Como tem sido o momento na história da tua igreja? É importante a tua participação e também a tua colaboração. Coloca-te à disposição para o trabalho e para enfrentar os desafios que certamente serão apresentados no dia a dia da tua igreja.

Sérgio Nogueira


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: